Prática da escrita traz benefícios psicológicos e motores

Todos só têm a ganhar, pois isso faz utilizar mais redes e áreas cerebrais do que digitar. E assim fortalece diversas funções neurais

Postado em: 13/07/2019 16:40:23

Eis uma atividade clássica e democrática, que pode trazer benefícios à coordenação motora, às emoções... De acordo com Beatriz Carunchio, neuropsicóloga com doutorado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), envolve ainda funções neuropsicológicas como memória, aprendizagem, atenção, linguagem. E influencia até mesmo na compreensão do que temos em nós mesmos e da realidade em que vivemos. E mais: “a troca de bilhetes e cartas ajuda a criar e aprofundar laços afetivos fundamentais à saúde física e mental, em todas as idades”, continua ela, que integra o Laboratório de Psicologia Anomalística e Processos Psicossociais da Universidade de São Paulo (USP).

 

A escrita à mão voltou à moda, sendo uma das características do mais recente livro vencedor do prêmio Jabuti, À Cidade, do cearense Mailson Furtado. Vários idosos, por exemplo, gostam dessa atividade por resgatarem costumes deixados de lado ao longo da vida. “No caso da terceira idade, trabalha funções neuropsicológicas, inclusive a memória, diminuindo o declínio cognitivo”, diz Beatriz.

 

E como incentivar uma geração que já nasceu digital, com tantas tecnologias e telas à disposição, a curtir utilizar lápis e caneta? Para a neuropsicóloga, “a primeira atitude é explicar. As crianças entendem! Quando escrevem à mão, usam áreas do cérebro ligadas à percepção, cognição e motricidade de forma combinada, e isso traz ganhos imensos para o desenvolvimento neuropsicológico. Também é importante que os adultos deem o exemplo. As crianças tendem a reproduzir comportamentos que observam em pessoas significativas”.

Av. Nove de Abril, 1811 - Centro - Cubatão-SP - CEP: 11510-001 - Tel.: 13 3362-5600 / 0800 7711194